Welcome, Guest. Please login or register.

Author Topic: Folha: Caso Bruna: Ministério público recebeu o inquérito sobre a morte  (Read 1337 times)

0 Members and 1 Guest are viewing this topic.

Offline JuliRosi

  • Veteran Member
  • *****
  • Posts: 622
Folha de São Paulo

19/05/2010 - 19h44

Inquérito acusa de homicídio culposo médico que atendeu mãe do menino Sean


http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u737711.shtml

FÁBIO GRELLET

da Sucursal do Rio

O Ministério Público do Estado do Rio recebeu hoje o inquérito em que o obstetra Nadir Farah e outros integrantes de sua equipe médica são acusados de homicídio culposo (sem intenção) pela morte da estilista Bruna Bianchi.

Polícia investiga se erro médico causou morte da mãe de Sean
Avó de Sean pede ajuda ao Senado para visitar neto
Pai de Sean não feriu imagem do padrasto, diz Justiça

A morte de Bruna ampliou a disputa judicial pela guarda de seu primeiro filho, Sean Goldman, cujo pai é o norte-americano David Goldman. Ela havia trazido o filho para o Brasil a passeio, em 2004, com autorização do pai, mas depois avisou David que não retornaria aos Estados Unidos.

Bruna morreu durante o parto do segundo filho, em 2008, quando tinha 34 anos e estava casada com o advogado João Paulo Lins e Silva, seu segundo marido. O parto foi realizado por Farah em um hospital de Botafogo (zona sul do Rio).

O promotor Márcio Nobre, da 3ª Promotoria, tem 30 dias para decidir se aceita a acusação. Se aceitar, o inquérito --produzido pela 10ª DP (Botafogo)-- será encaminhado ao Tribunal de Justiça para dar origem a uma ação penal.

Relatório da Polícia Civil sobre a morte da estilista aponta que a equipe médica foi negligente. De acordo com o relatório, mesmo ciente da gravidade do estado da paciente após o parto, os profissionais deixaram a estilista sob cuidados da médica Izabel de Araújo Nogueira, 70, "que sofre de esclerose múltipla em estágio avançado com restrições como locomoção".

"Ela não fez nada e não deixou que ninguém fizesse. A doutora Izabel fazia parte da equipe médica do doutor Nadir Farah, que era o médico responsável, e o doutor Nadir não ficou lá. Ele fez o parto, saiu e deixou a doutora Izabel como responsável. Em seguida, a Bruna teve as complicações. Na Justiça vai ser avaliada a responsabilidade dele quanto a isso porque, se a médica tem esclerose múltipla, ela não poderia fazer nenhum tipo de intervenção", disse o advogado da família Bianchi, Bruno Tavares, no fim de abril.

A reportagem procurou representantes do obstetra por telefone, mas não conseguiu falar com ninguém.

Disputa

Com a morte de Bruna, em 2008, o padrasto de Sean, Lins e Silva, passou a disputar com David Goldman a responsabilidade pela criação do menino.

Em dezembro passado, por ordem judicial, o menino foi entregue ao pai, com quem hoje mora nos Estados Unidos.