Welcome, Guest. Please login or register.

Author Topic: Brasileiro tenta rever filha levada pela mãe para os EUA (c/ vídeo)  (Read 3790 times)

0 Members and 1 Guest are viewing this topic.

Offline liesl78

  • Global Moderator
  • Veteran Member
  • *
  • Posts: 2105
http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1643456-15605,00-BRASILEIRO+TENTA+REVER+FILHA+LEVADA+PELA+MAE+PARA+OS+EUA.html

Brasileiro tenta rever filha levada pela mãe para os EUA

Eduardo e Michele moravam em Maceió e não eram casados. A guarda da filha era compartilhada, mas Michelle conheceu um americano e decidiu morar nos Estados Unidos com a menina.


O Fantástico conta a história de um alagoano que viajou para o interior dos Estados Unidos na esperança de rever a filha, levada para lá pela mãe, seis anos atrás.
O primeiro reencontro é através de uma janela de vidro, na frieza de um tribunal americano.

“Eu estava na janela. Ela passou, abaixou a cabeça e nem me olhou”, conta Eduardo.

A história começou no Brasil, em 2005. Eduardo e Michele moravam em Maceió e não eram casados. A guarda da filha era compartilhada. Michelle conheceu um americano e decidiu morar nos Estados Unidos, mas Eduardo não permitiu a viagem da filha. É uma exigência da lei brasileira: menores só podem deixar o país com a autorização do pai e da mãe.

Michelle, então, foi para Recife e conseguiu a autorização na Justiça de lá. Embarcou com a menina, que tinha 6 anos de idade.

“Pedimos cópia desse processo em Pernambuco e foi possível verificar que a mãe alegou que residia em Recife, que a menor estava em Recife e que o pai não a via há mais de dois anos”, diz o delegado da Polícia Federal Daniel Fantini.

Para a polícia, Michelle havia cometido um crime. Ela passou a responder no Brasil por tráfico internacional de menores. Em casos assim, a Convenção de Haya protege a criança.

Aquele que viu a criança sair do seu contato diário sem a sua autorização tem até um ano para usar a convenção, explica a professora de Direito Institucional Maristela Basso.

A Justiça de Alagoas levou dois anos para expedir uma ordem de busca e apreensão que nunca chegou aos EUA. O pai então apelou para a Justiça Federal. Mais dois anos de espera e finalmente saiu o documento certo. O tempo correu contra Eduardo.

“A convenção tem uma exceção, ela diz que o juiz pode não mandar a criança de volta para o país de origem se ela já estiver adaptada àquele meio social”, diz a especialista.

Quando Eduardo chegou na corte americana com a ordem de busca e apreensão expedida pela Justiça brasileira, ele achava que tudo estaria resolvido. Foi aí que ele descobriu que a menina já tinha outro pai. O homem que se casou com Michelle conseguiu a guarda da menina na Justiça americana. E tenta adotar a criança.

Agora, Eduardo precisa lutar nos tribunais americanos para provar que é o pai e que nunca abandonou a filha. No mínimo, mais um ano de espera e de saudade. O advogado avisa: seria bom ter ajuda do governo brasileiro.

Ele diz que, se o governo do Brasil com o cônsul estiver fazendo pressão para fazer a criança voltar porque a mãe infringiu alguma lei, pode ser que isso ajude na decisão.

Os advogados de Michelle disseram por telefone que não haverá entrevistas sobre o caso.

“Eu preciso que a diplomacia brasileira me ajude, que interfira neste caso. Que ajude a fazer valer a Justiça brasileira. Eu preciso da minha filha de volta”, apela o pai.

Num quarto de hotel nos Estados Unidos, o que Eduardo mais quer é ter esse direito.

“Cada minuto, cada hora, cada dia que eu passo longe da minha filha, eu estou perdendo. Isso não vai acabar? O tempo passou”, lamenta Eduardo.

No final da tarde deste domingo (23), a repórter Giuliana Morrone conseguiu conversar com Michelle Batista. Ela acusa o ex-marido:

“Eu fugi desse monstro que está dizendo na televisão que era um bom pai. Quando eu era jovem e pedia por ajuda, as pessoas não acreditavam que aquele homem tão articulado, tão educado, era um monstro.

Eu fugi do Brasil com a minha filha. Eu não sequestrei a minha filha. Eu não falsifiquei nenhum documento. Mais do que isso eu prefiro que o meu advogado responda”, encerra ela.
Liesl78
Moderator
BringSeanHome.org

Offline a.marcos

  • Full Member
  • ***
  • Posts: 102
alguem sabe novas notícias desse caso?

Offline StrngConviction

  • Left Behind Parent
  • Sr. Member
  • *****
  • Posts: 412
Huh ?
Behind this smile is something only we LBP understand.
                May God be with ALL our children.

Offline a.marcos

  • Full Member
  • ***
  • Posts: 102
Huh ?
someone knows new news about this case?

Offline Sandra

  • Full Member
  • ***
  • Posts: 191
Marcos, li mais infos aqui, mas nada mais atual:

http://www.ojornalweb.com/2011/01/23/caso-bruna-pai-luta-para-reaver-a-filha-nos-eua/ 

Leia os comentários também.

Offline a.marcos

  • Full Member
  • ***
  • Posts: 102